Escova de dentes: Manual ou elétrica?


Qual é a mais recomendada?


Uma boa higiene dentária depende da conjugação de inúmeros fatores. Seja a técnica utilizada, o número de vezes que lavamos os dentes diariamente, a duração com que o fazemos ou até os instrumentos utilizados.

É comum pensar que as escovas elétricas garantem uma boca mais saudável. No entanto, as escovas tradicionais também permitem uma escovação bastante eficaz se forem utilizadas da forma recomendada pelos profissionais e são uma escolha mais econômica.

Que tipos de escovas existem?

Atualmente, existem 3 principais tipos de escovas de dentes: as manuais, as elétricas recarregáveis e as elétricas com pilhas.
  1. Escova manual – É o tipo de escova mais comum, constituído por um cabo e uma cabeça com filamentos de nylon ou poliester.
  2. Escova elétrica recarregável – Com diferentes tipos de tecnologia consoante o modelo e a possibilidade de substituir a cabeça, esta é, talvez, a escova elétrica mais conhecida.
  3. Escova elétrica com pilhas – É uma espécie de meio-termo entre as duas opções anteriores. Trata-se de uma opção visualmente semelhante à manual, mas que usa pilhas para permitir uma ligeira vibração e, desse modo, uma limpeza mais eficiente.
     
"As escovas elétricas recarregáveis mais avançadas apresentam 7 características principais que as diferenciam das tradicionais."

1.    Modos de escovagem – Podem existir programas especialmente concebidos para dentes sensíveis, para proteger as gengivas ou para limpeza prolongada, por exemplo.
2.    Sensores de pressão – Muitas escovas elétricas vêm equipadas com um sensor que avisa o Paciente quando está a exercer demasiada força sobre as gengivas.
3.    Temporizadores – Sendo 2 minutos o tempo de escovação recomendado, algumas escovas elétricas acionam um contador com essa duração. Por vezes, este é até dividido em conjuntos de 30 segundos para melhor orientar o Paciente e separar a lavagem em 4 quadrantes da boca.
4.    Facilidade de utilização – Para pessoas com pouca destreza manual, torna-se mais fácil garantir uma boa limpeza dos dentes.
5.    Lembretes digitais – Algumas escovas possuem, quando necessário, mensagens a relembrar que está na altura de substituir a cabeça da escova, por exemplo.
6.    Oscilação e rotação – Estas escovas vêm equipadas com um sistema de oscilação e rotação que permite remover a placa bacteriana com eficácia.
7.    Produtos complementares – Normalmente, vêm acompanhadas de suportes para a escova, para instalá-la na casa de banho e para transportá-la em viagem. 

Na verdade, a escolha de uma escova de dentes deve ser discutida em conjunto com o seu médico dentista, considerando tanto as suas necessidades específicas, como as suas expectativas.
O mais importante não é o tipo de escova, mas sim assegurar-se de que efetua uma limpeza completa.
Para tal, seja com que escova for, higienize sempre todas as superfícies dentárias, não abdique do uso do fio dental e consulte periodicamente o seu dentista. Dessa forma, estará, certamente, a fazer o seu melhor para garantir um sorriso saudável.

Compartilhe com os amigos! Clique aqui